Home

Companheiros e companheiras,

Em vez de cumprir sua missão e começar a governar o DF, afundado em uma péssima gestão, consta que o governador Rollemberg, a exemplo do PSB, seu partido golpista, tem se dedicado a encorajar o golpe que visa depor a presidenta Dilma e levar ao comando da nação a dupla Temer e Cunha.

Ora, se estivesse realmente preocupado em combater a corrupção, Rollemberg não teria em sua base de apoio figuras como Celina Leão, aliada de Luiz Estevão, nem Liliane Roriz, cujo grupo político nasceu e floresceu sob a sombra de Joaquim Roriz.

Se suas críticas ao governo federal fossem devido a problemas de gestão, Rollemberg deveria examinar melhor seu próprio governo, que há 16 meses não realiza uma única ação relevante para o desenvolvimento do DF e para a melhoria da qualidade de vida da população, sempre alegando uma tal de “herança maldita” que nunca acaba.

Embora use e abuse de sofismas e queira transparecer que é um “isentão”, Rollemberg se mostra golpista até a medula. Fosse o contrário, não teria feito gestões junto a sete dos oito deputados federais, encorajando-os a votar pelo impeachment.

Rollemberg é um traidor de primeira hora. Jamais fez qualquer ato de aproximação com o PT e sequer reconheceu que se elegeu com os votos do nosso partido, em todas as eleições que disputou para deputado distrital, deputado federal e senador.

A verdade dura é que o PT foi traido por Rollemberg. Dilma e Lula também.

Diante disto, não podemos mais permitir que filiados nossos, sob nenhuma circunstância. exerçam cargos no GDF. Não é razoável que, enquanto o conjunto da militância luta incansavelmente nas ruas, haja filiados colaborando com um governador golpista. Isso também é traição!

Portanto, a Articulação Unidade na Luta aproveita essa Plenária da militância petista para informar que vai defender nas instâncias que os filiados deixem imediatamente o governo, sob pena de que seja aberto um processo de expulsão por violação grave da orientação política do PT. Ao mesmo tempo, pedimos apoio da nossa brava militância para fazer prevalecer essa idéia e livrar nosso partido da indignidade que é ter, em seus quadros, filiados que contribuem com um governo de traidores.

Por fim, entendemos que tal medida deve ser estendida a qualquer filiado(a) que pretenda trabalhar em um remoto, mais possível governo golpista do PMDB.

Quem trabalha com golpista e traidor é, também, golpista e traidor e não merece integrar o nosso Partido.

Não vai ter golpe.

Rollemberg golpista não vai ter trégua e Temer e Cunha não vencerão

Articulação Unidade na Luta

Anúncios