Home
Na campanha,  respostas.de Dilma
            Nunca antes neste País se viu uma campanha tão sistemática e nacional de notícias dirigidas pelos grandes órgãos de comunicação contra um governo recém eleito, o principal partido de sustentação deste e contra os militantes desta agremiação.  Mesmo já passadas as eleições o clima continua de disputa, necessitando uma resposta petista a altura, similar a que desenvolvia no período de campanha.
Nesta batalha, a grande mídia recorre a um vale tudo, caracterizado por uma série de sucessivas notícias com conteúdo falso, deturpados, parciais, exagerados, replicados nas agências de notícias e em diversos órgãos de comunicação que são manipulados com datas precisas para serem divulgadas.
            Como na mentirosa matéria: “Eles sabiam de tudo!” publicada pela Revista Veja, na véspera das eleições, pela Revista Veja aludindo a existência um depoimento ao MP e a PF do doleiro em referência à Dilma e Lula, transcrevendo um trecho deste depoimento. Uma falsidade armada.
            Pari passu, ainda em fim de semana antes das eleições, o jornal O Globo divulgou

matéria afirmando que o doleiro, no dia 21 de outubro dera um depoimento sem comprometer Dilma e Lula, mas, no dia 22 de outubro, teria retificado o depoimento e declarado que Lula e Dilma sabiam de tudo. Era FALSO, não houve este depoimento e nem retificação de forma alguma.

            Outras notícias foram armadas, como a da Folha S. Paulo que dizia “Doleiro nomeia Lula e Dilma” e do Estado de S. Paulo afirmando Lula teria ordenado o pagamento a uma agência de publicidade, com dinheiro da corrupção da Petrobrás. FALSAS notícias e da mesma semana.
            O jornal “O Globo”, em letras garrafais, público na sexta-feira (24/10), “Oposição vai à PGR pedir investigação contra Dilma e Lula sobre corrupção na Petrobrás”, em letra um pouco menor segue: “pedido será entregue nesta sexta-feira. Doleiro teria dito que o Planalto sabia do esquema de corrupção na estatal”.

Atitude não muito distinta foram armadas em relação às referências inexistentes até então em relação ao ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, que, conforme a imprensa, estaria totalmente comprometido por delatores. Eram factoide, como se a mídia quisesse pautar o Juiz Moro, que preside o inquérito em Curitiba, Paraná.
            Estas notícias manipuladas, com conteúdo falso, foram reproduzidas, com a exibição bombásticas da capa Veja em praticamente todos os meios de comunicação de massa da grande imprensa. A ela se somavam declarações com manchetes garrafais como: “Lula está com um pé na cadeia, diz jornalista sobre revelações bombásticas de Yousseff, em vídeo da revista Veja, de sexta-feira (24).
            Somente dia 30 de outubro de 2014, após a apuração das eleições com a vitória de Dilma Rousseff, a Globo efetivamente reconhece que a matéria errara e que não houvera depoimento do dia 22 de outubro comprometendo Dilma e Lula.
            O PT e a própria presidenta não ficaram inertes, reagiram com respostas aos ataques e em busca de decisões judiciais, inclusive com direitos de resposta, como o obtido após a publicação da Veja e a forma de manifestação da oposição.
            Não ficam aí as manobras da mídia, factoides são sucessivos, inclusive na tentativa de caracterizar divisões entre Lula e Dilma, quanta notícia falsa. E, mesmo conversas não entabuladas, são descritas nos meios de comunicação de massa. Como recentemente, a divulgada pelo Estadão, ao afirmar que Lula encontrara com Dilma e recebera a notícia que Dilma alteraria as medidas provisórias 664 e 665. Uma notícia com conteúdo falso que recebeu clara reprimenda de Lula, tendo o Instituto Lula em nota desmentido o jornal e afirmado “Lamentamos a publicação da informação incorreta pelo jornal sem a devida checagem dos fatos”.

            Por outro lado, a grande imprensa não dá o mesmo destaque para matérias que seriam interessantes a opinião pública saber, como a de que delegados da Polícia Federal que apuram o caso, fizeram campanha para Aécio Neves, que a esposa do Juiz Moro assessora o PSDB e advoga para multinacionais do ramo do Petróleo que seriam beneficiadas em privatização da Petrobrás, que houve pressão de congressistas sobre a questão de seus nomes aparecerem na lista dos beneficiados com o esquema de corrupção na Petrobrás, que o esquema de corrupção na Petrobrás já ocorria na época do Governo FHC,  que a Petrobrás ainda consegue dados recordes de produção, que o índice de inflação em série histórica menor do que de FHC e Lula, que distantamente que a grande mídia publicou Barusco não disse que o PT ilegalmente recebeu R$ 200 milhões de empreiteiras, que era impossível no espaço ocupado haver 6 pessoas por metro quadrado na manifestação da avenida paulista de 15 de março, que a ditadura militar era um regime corrupto, etc.
Há ainda uma manobra da imprensa em desconstruir a dimensão das medidas anticorrupção tomadas por Dilma Rousseff e Lula que receberam elogios de especialistas nacionais e estrangeiros, inclusive quando coloca como crime a corrupção ativa, ou seja, agora se pode punir também o corruptor, que ficava impune e que, graças a nova legislação, é possível maior aprofundamento das investigações dos atos de corrupção na Petrobrás, no CARF e até do HSBC.
Além disto, lembro que, durante o julgamento da Ação Penal 470, o Partido dos Trabalhadores se mostrou tímido, pensando que a único ilícito que seria atribuído alguns poucos dirigentes do PT seria de caixa 2, que não era crime, mas simples ilícito financeiro, com punibilidade reduzida.

 Eis que na condenação final, mesmos com provas tendenciosas ou insuficientes, valendo de deturpações da teoria do domínio do fato, foram condenados diversos petistas e até no crime de formação de quadrilha.
Até agora, novamente, nota-se que a Direção petista e Governo timidamente enfrentam a manipulação da mídia, na orquestrada ação desta contra petistas e a presidenta Dilma e na tentativa de criação de divisões no seio do governo, o que pode resultar até num golpe de estado contra a Presidenta reeleita democrática e legitimamente e, certamente, na condenação dos petistas indiciados, mesmo que haja falta de provas e nenhuma ilicitude nas obtenções de financiamento de campanhas.
Dada principalmente a timidez petista e do governo, hoje, em pesquisas de opinião é possível constatar um baixo índice de aprovação da Presidenta e do PT.
Assim é de se esperar que o PT não fique acuado e se reorganize, até com rejeição da política de se recorrer a financiamento empresarial de campanha, realize um novo Processo de Eleições Diretas interno, e quiçá externo, para escolha de novas direções capazes de responder a esta conjuntura, crie e use canais democráticos de participação interna e mobilize também a sua militância, não deixando de lado o fato que a direita organiza e capitaneia manifestações. Por outro lado, é necessária uma ação enérgica do Partido para manter uma efetiva, eficiente e eficaz política de comunicação que consiga desmentir as manobras caluniosas, difamadoras e condenadoras da mídia.
Já ao Governo, cabe cuidar também manter a unidade de seus membros e formar sua área de comunicação com pessoas realmente dispostas a contrapor a batalha midiática golpista.
Hudson Cunha
do blog Bem Visitado
Anúncios

2 pensamentos em “VACCARI, GLEICE E HUMBERTO CONDENADOS, SE HOUVER OMISSÃO E/OU TIMIDEZ DO PT E DO GOVERNO

  1. Pingback: ARTIGOS PUBLICADOS NO BEM VISITADO | BEM VISITADO

  2. Pingback: É HORA DE A ESQUERDA ENFATIZAR A LUTA IDEOLÓGICA | BEM VISITADO

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s